Causas mortis no século XIX

anton darius
Imagem: Anton Darius (Unsplash)

Se você já manuseou algum livro de óbitos antigos do Brasil – tanto paroquiais quanto civis -, principalmente do século XIX para trás, provavelmente encontrou referências a algumas causas de mortes um pouco incomuns, algumas até mesmo bizarras – principalmente se os registros se referem a regiões distantes de centros urbanos.

Hoje, todas as moléstias possuem um CID (Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde), mas na época em que estou citando, quando registrado o sepultamento na Igreja ou o óbito no Cartório, o declarante citava o que aparentemente seria a doença fatal, com nomes que apesar de claros à época, hoje em dia não fazem muito sentido para nós.

Isso ocorria porque geralmente as pessoas faleciam em suas casas, sem qualquer tipo de assistência médica (se é que havia) e, obviamente, não havia autópsias para atestar rigorosamente o que foi exatamente que matou a pessoa. Dependendo do período, era o próprio sacerdote quem deveria indicar a causa da morte, o que fazia informando simplesmente que a pessoa morreu de enfermidade ou moléstia, ou indicando alguma das doenças mais populares da época, tornando muitas vezes impossível para nós identificarmos qual foi a real causa da morte da pessoa em questão. Vejamos algumas, com suas possíveis relações:

  • Agredido no mato: aqui não se sabe se a pessoa teve traumatismo craniano, foi atingido por tiro ou facada, ou foi atacado por algum animal. Fica aí o mistério.
  • Cãibra no sangue: por incrível que possa parecer, está relacionada a problemas intestinais e do reto, como diarreias, hemorroidas ou sangue nas fezes.
  • Moléstia de peito ou catarrão: aqui temos indícios de que seria uma morte causada por problemas respiratórios, uma pneumonia ou tuberculose.
  • Cancro: câncer.
  • Congestão cerebral: associada a qualquer doença relacionada à cabeça, como o AVC, meningite, edemas etc.
  • Espasmo: morte por engasgo (comum em crianças) ou contração involuntária de áreas do aparelho respiratório, provocando sufocamento.
  • Estupor: relacionado à paralisação do corpo, deixando a pessoa inconsciente, em um estado em que despertá-la é difícil. No contexto dos registros antigos, pode estar relacionado a AVC ou ataque cardíaco.
  • Mal de barriga: diarreia, úlcera, ou qualquer doença localizada na área do abdome.
  • Maligna: se refere a alguma doença “muito ruim”, como câncer, tuberculose, febres.
  • Mal enviado por Jesus: seguramente o padre que fez o registro não gostava do morto ou o considerava um grande pecador.
  • Moléstia interior: quando não se sabia precisamente qual foi a causa da morte, sendo ela imperceptível externamente.
  • Repentinamente ou subitamente: mesmo caso que a anterior, quando não é possível definir a causa da morte com precisão.

Outras causas de mortes no período, indicadas com um pouco mais de rigor científico, são a hidropisia, gastroenterite (principalmente em crianças), diabetes, indigestão,  desnutrição, gripe etc; ou mais óbvias de entendimento, como facadas, picadas por animais peçonhentos, queimadura, parto e velhice.

No século XX, com o crescente acesso aos serviços de saúde e a registros de óbito com mais rigor, esse tipo de registro vai desaparecendo, dando lugar a nomes mais técnicos, que igualmente pode haver dificuldade em compreender. Por exemplo, no óbito do nonno consta morte por síndrome bulbar, que é uma doença relacionada à lesões cerebrais. Ficaria mais claro para todos se estivesse escrito congestão cerebral não é?

E você, já encontrou causas mortis incomuns nos registros de óbitos de antepassados?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s