Localizando a origem do seu antepassado italiano

Imagem: Clay Banks / Unsplash

Se você está realizando a pesquisa genealógica de sua família com o objetivo de requerer a cidadania italiana, é possível que tenha algumas dificuldades na identificação do comune de origem do seu antepassado – passo essencial para localizar os registros italianos e dar prosseguimento ao seu requerimento.

Após muito pesquisar, pode ser que você encontre aqui no Brasil alguns documentos do antepassado (casamento, óbito ou registro dos filhos), e é raro conter exatamente o nome do comune de origem. Muitas vezes pode conter o nome de uma região da Itália ou até mesmo constar que o fulano era natural da cidade onde o registro foi lavrado aqui no Brasil.

Indicar o nome da região ou província como o local de nascimento era uma forma de facilitar a localização para o interlocutor, já que a maioria dos imigrantes vieram de pequenos comuni, quase vilarejos, de nomes pouquíssimo conhecidos por aqui. Por exemplo, o trisavô do meu marido indicou, em seu assento de casamento aqui no Brasil, que era natural de Treviso, quando na verdade sua origem era Scandolara, uma frazione do comune de Zero Branco, da província de Treviso. E isso só foi possível porque no registro de óbito da esposa constou o nome da frazione, ao passo que no casamento constou que ambos se conheciam desde que eram crianças.

Mas voltando ao problema da identificação do local de origem: pode ser que você tenha algum documento indicando o nome de algum local ou não tenha nada. Se o nome que encontrar for o de uma capital de província, é quase 100% de certeza que aquela não é a origem, e sim que houve o caso da indicação geográfica para situar mais ou menos a localização. Se esse for o caso, ou se não tiver nada, é preciso atacar o problema, delimitando geograficamente a incidência do sobrenome do seu antepassado na Itália, para a partir daí tentar qualificar as suas pesquisas.

Há muitos sites em que é possível fazer esse mapeamento de forma gratuita e rápida, sendo um dos mais conhecidos o cognomix.it: é só entrar na página, digitar o sobrenome de interesse na caixa “cognome” e clicar em “cerca”. Fiz uma pesquisa com o sobrenome Pozzobon, que é o do antepassado que citei acima, aquele de Scandolara:

Na figura 1, é possível ver que a pesquisa aponta a região do Vêneto (destacada em roxo) como a de maior incidência do sobrenome Pozzobon. Clicando nesta região, há uma nova delimitação em roxo, desta vez na província de Treviso (figura 2). Por fim, clicando em Treviso, há a indicação do quantitativos de famílias com este sobrenome por toda a província, sendo os com maior incidência destacados em vermelho. Aqui, vemos que esta é uma boa estratégia para delimitar uma região e província, mas não tão eficiente na localização do comune, uma vez que Vedelago e Treviso são as regiões com maior concentração de Pozzobon, mas o comune de Zero Branco, que é a origem da pessoa que estou pesquisando, não aparece. O local mais próximo é Quinto de Treviso, indicado com 4 famílias.

Veja que não há garantias de que os dados obtidos com este tipo de pesquisa não serão definitivos. Muitas vezes um sobrenome pode estar indicado como de alta incidência em uma região e província, e a pessoa que procuramos ser de outra bem diferente, onde o sobrenome mal aparece. Porém, é uma das ferramentas para auxiliar a nortear a pesquisa, e selecionar pelo menos a província de maior incidência é relevante para tentar conseguir mais informações.

Depois que delimitar a região e província, você NÃO IRÁ fazer o spam genealógico que citamos aqui. Ainda é preciso levantar as informações que você tem em busca de pistas, para um resultado mais efetivo. As pistas que poderá obter, em documentos ou com parentes, e que poderão indicar a região de origem, são: o santo de devoção da família, o nome dos filhos (que podem indicar uma região, um santo ou padroeiro local), os costumes, receitas típicas, festividades, superstições etc. A partir deste levantamento de dados e uma pesquisa aprofundada sobre a possível origem de cada um, é possível chegar a um local mais próximo para procurar a origem do seu antepassado.

O ideal é que seja delimitado de 1 a 3 comuni para o método tradicional, ou seja, o envio de cartas ou e-mails solicitando a pesquisa do registro do seu antepassado nos assentos paroquiais ou civis, e torcer para que o spam genealógico dos outros não atrapalhe a sua pesquisa!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s